Minha sede

Um vento forte

Algumas saudades

Saudade de um gosto

Saudade de beber algo…

Saudade ou vontade?

O que tanto sinto falta?

Meus lábios parecem secos

Preciso de uma bebida

Algo que molhe meus lábios

Passe pela garganta, queime entre meus seios e preencha meus pulmões, meu ar… 

Com um sabor atdente e leve, junto com sorriso.

Essa vontade, essa sede…

Essa saudade de você


Mudez

Sinto.

Respiro…

Calo e coloco um olhar adiante.

Sem palavras, sem fala, caminho delicadamente em silêncio. Emudeço longe de ti, emudeçi diante de ti. Assim, adormeço e amanheço aos gritos de um peito em silêncio.


Apenas só

Posso não está sozinha, mas está só. Como uma pedra no meio de um rio, como um vestido de tom vermelho com flores anarelas bordadas entre tantos outros vestidos cinzas, como um cardigã azul em um dia ensolarado, mesmo sendo azul deve ficar guardado para dias chuvosos, porém, no ponto de vista de alguns olhares há uma multidão, existe vozes, fatos, acontecimentos, existe vidas importantes, sei da importância do mundo em volta, no entanto, a relevância do que somos, o que sentimos, deveria vibrar junto com demais existência.

Sozinha ou só? Não importa a adequação da palavra, o sentimento é maior do que o sentido.


Assista a “Acabou De Acabar – Phill Veras” no YouTube

ACABOU DE ACABAR

Já não sei mais
Já não sinto a ponta dos dedos
Já não sei dizer
Quanto a saudade
Ignoro e me volto aos meus medos
Tenho o que fazer
E o que sou
Onde estou
O que sobrou de mim mesmo
Acabou
Acabou de acabar
Foi embora
Já não vou mais
Já não saio da porta pra fora
Já não sei viver
Quanto a saudade,
Minha cara metade ignora
A voz do meu querer
E o que sou
Onde estou
O que sobrou de mim mesmo
Acabou
Acabou de acabar
Foi embora
E não volta
O meu amor
Pra onde foi meu amor?
Por favor, não mereço
Acabou
Acabou de acabar
Foi embora


Castello Branco – Crer-Sendo

Preciso amar de menos
De menos a mim e mais atento
Preciso amar atento
Atento pra não ceder 
por dentro

Por dentro que está
Por dentro que palpita aqui por dentro
Amar jamais será demais
E equilibrar

Não há
Não há
Não há porque viver
Se não pra crer e ser crescendo sendo
Não há
Não há
Não há porque amar
Se não pra semear conhecimento

Preciso amar sabendo
Sabendo que as vezes só eu só e só
Preciso amar eu só
Que é só que só me encontro dentro

Por dentro que está
Por dentro que walkie talkie por dentro
Amar
E equilibrar